quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Cutty Sark | Observatório de Greenwich

Antes de irmos à Greenwich, aproveitamos parte da manhã para fazer umas comprinhas. Nosso roteiro eram as lojas da Oxford Street. 


Basicamente estávamos atrás de coisas simples, acessórios - cachecóis, lenços e meias, principalmente. Quer renovar um look todos os dias? Use um lenço ou cachecol diferente. Além de baratos – verdade - e lindos, é um tipo de acessório que você vai usar sempre e para sempre! 


Para as meninas: um achado no que diz respeito a cosméticos baratos e variados é a Boots. É uma farmácia – que não parece farmácia - que tem as famosas marcas de make up: Dior, Lancome, Clinique, Elizabeth Arden, Urban Decay, Benefit, Max Factor, Too Faced, etc, e as marcas com preços mais acessíveis que já conhecemos como: Revlon, Maybelline, Bourjois e muito mais. Se você é fã dos dermocosméticos, lá também tem as marcas renomadas, e que também já conhecemos como: Avéne, La Roche Posay, Vichy, Olay, Neutrogena, Johnsons. 

E como não poderia deixar de ser, têm também as inglesas Rimmel, Nº 7, Nº 17, Soapy & Glory, cremes hidratantes, shampoos, condicionadores, máscaras - John Frieda é incrivelmente barato se comparado com Brasil - e vários tipos de acessórios para cabelo, para cosméticos, para refilar produtos, etc, etc. Uma das maiores é a da Oxford Street. 
Um ponto positivo e de destaque é que você pode fuçar a vontade, que ninguém te enche o saco. Portanto, prepare-se pra não enlouquecer! Em Londres não tem Sephora, mas tem Boots, que em minha opinião, é muito melhor! 

Depois da “gastança” (brincadeirinha!), voltamos para o hotel rapidinho para deixar as coisas e rumamos para Greenwich. 

Fomos de metrô, mas é também possível chegar de ônibus, trem ou barco. Greenwich fica na Zona 2, então o seu Oyester é aceito. No entanto, é necessário fazer uma baldeação do metrô para o trem (DLR) para acessar as estações: Cutty Sark for Maritime Greenwich ou Greenwich. 

Paramos na estação Cutty Sark, pois queríamos conhecer o famoso veleiro - de mesmo nome - que está exposto permanente, e é um ícone da navegação. 

Construído em 1869, na Escócia, o Cutty Sark foi o mais famoso dos grandes veleiros do século XIX, que percorreu as principais rotas comerciais do mundo. Ele destinava-se ao transporte de chá entre a China e a Grã-Bretanha. Muita história e acontecimentos marcaram a embarcação. O veleiro foi substituído por embarcações a vapor, mais rápidas e seguras. Depois, transportou lã, foi vendido a uma empresa portuguesa e transportou diversas mercadorias entre as cidades e as colônias africanas. O veleiro navegou por águas da América do Sul, América do Norte, África e Europa.


Em 1920 foi comprado pelo capitão Dowman e totalmente reformado. O veleiro navegou pelos mares até 1938. Em 1954, foi levado a Greenwich e instalado sob uma doca seca. Em 1957, foi reaberto a visitação pela Rainha Elizabeth e desde então, já recebeu mais de 15 milhões de visitantes ao redor do mundo. Em novembro de 2006, o veleiro foi fechado para reforma e reaberto em Abril de 2012, após extensivos trabalhos de restauração, para garantir que se mantenha conservado para as próximas gerações.


Considerado hoje como um símbolo do patrimônio marítimo inglês, o Cutty Sark também se tornou um memorial para a Marinha Mercante e suas perdas em duas grandes guerras mundiais. Da doca onde está instalado o Cutty Sark, há uma vista privilegiada da Canary Wharf, famosa por seus edifícios comerciais e shoppings que incluem o One Canada Square, 8 Canada Square e Citigroup Centre, que estão entre os maiores edifícios do Reino Unido.

Do DLR nos avistamos o complexo e vimos quanta gente trabalha ali...

O outro lado do rio, a Canary Wharf
Próximo do Cutty Sark estão o Museu Marítimo, o Observatório de Greenwich, o Greenwich Park, a North Greenwich Arena, mais conhecida como O2 e o Old Royal Naval College.

A fundo, o domo da North Greenwich Arena, ou O2 , como é mais conhecida
Museu Marítimo
No caminho para o observatório notamos muitos tapumes encobrindo os locais das competições das Olimpíadas de Londres (realizados entre Julho e Agosto de 2012, em diversas partes de Londres). Ali ocorreram as provas de hipismo e pentatlo moderno, e tudo estavam sendo desmontado.

Foi no alto, onde está o Meridiano, que avistamos parte da cidade, e "estádios" ondem ocorreram jogos das Olimpíadas sendo desmontados.

Arquibancadas sendo desmontadas.

E assim foi uma Olimpíada...

Aqui aconteceram jogos olímpicos durante as Olimpíadas de Londres
Já no Meridiano de Greenwich... Quem nunca ouviu falar dele na escola? Ele passa sobre a localidade de Greenwich - no Observatório Real, nos arredores de Londres - que, por convenção, divide o globo terrestre em ocidente e oriente, permitindo medir a longitude. 


O Meridiano de Greenwich atravessa dois continentes e sete países. Na Europa: Reino Unido, França e Espanha; e na África: Argélia, Mali, Burkina Faso e Gana.


É o observatório que “hospeda” o famoso GMT (Greenwich Mean Time), marcador oficial do tempo. 



O fuso horário é contabilizado a partir do Meridiano de Greenwich, sendo negativo para o este, e positivo para o leste.
Stay in queue!
A tão disputada linha do meridiano estava ali, aos nossos pés, mas não imaginávamos que tirar uma foto fosse tão difícil. Enfrentamos uma pequena fila para fazer algumas fotos, mas tudo muito rápido.

As coordenadas. Rio de Janeiro...
e Brasília!

Além do Meridiano, há também muitos esquilos por toda a parte. Tanto quanto o Meridiano, eles também conseguem chamar a atenção das pessoas. Não há quem não se encante com esses bichinhos!

E assim, apareceu um esquilo...



Visitamos também o Royal Observatory, onde está o telescópio refrator Greenwich de 28 polegadas. É maior do seu tipo no Reino Unido, e a sétimo maior do mundo.

Mapa do museu

Royal Observatory
Concluído em 1893, ele foi projetado para manter o Royal Observatory na vanguarda da astronomia contemporânea. O telescópio foi usado para a pesquisa em sistemas de estrelas duplas até a sua aposentadoria no final de 1960.


Ela agora é uma parte central de programas educacionais no Observatório Real. Com a recente adição de um sistema de orientação auxiliada por computador e uma câmera CCD, ela continua a funcionar como um excelente auxílio visual para observar o céu à noite.


Aproveitamos o museu até o último minuto até fechar suas portas.


Saímos do observatório e ainda fizemos o registro de um objeto do Museu Marítimo.


No caminho para o metrô, passamos pelo bairro de Greenwich. Lugar charmoso com lojas, bares e pubs. Pena que nosso tempo foi curto e não aproveitamos o lugar...


Saímos de Greenwich direto para conhecer o maior shopping de Londres, o Westifield (estação Sheperd´s Bush).

É um shopping enorme com marcas e lojas preferidas dos turistas como: Primark, Forever 21, Top Shop, Zara, H&M, Urban Outfitters, All Saints, Gap, French Connection, Boots, etc. Todas as lojas de grife com preços estratosféricos também estão lá. 

Notamos muitas mulheres de origem árabe, cobertas da cabeça aos pés carregados sacolas e mais sacolas da Chanel, Dior, Prada... Se elas andam cobertas quando estão em público, certamente todas as roupas e bolsas que compram, são para mostrar aos seus maridos somente dentro de casa! 

Já era noite, quando paramos no Spaguetti House - rede de restaurantes de Londres -  para jantar, no próprio shopping.

Penne arrabiata
Bersaglieri ao pesto
Massa deliciosa e atendimento rápido. 

Estava muito frio quando saímos do shopping. Rapidinho fomos até o metrô, mas, quando chegamos a estação, nos foi informado que o serviço estava interrompido – algo até comum de acontecer nos metrôs de Londres, mas quando acontece, você não fica na mão, e há outras alternativas. 

A linha interrompida era um caminho mais rápido para o hotel. Bem, ainda tínhamos o ônibus, ou outra linha de metrô como alternativa. Quase 1 hora depois, já estávamos no hotel. Até que não foi tão difícil fazer duas baldeações no metrô...

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...