terça-feira, 2 de julho de 2013

Dicas e Curiosidade: Pret A Manger | O metrô de Londres


Uma das deliciosas atrações – literalmente - durante nossa visita à Londres foi o Pret A Manger, uma das maiores – se não a maior - redes de fast food do Reino Unido.

Como não merecer um post exclusivo para algo tão diferente e inovador?

Em Londres, comida de rua é algo que já faz parte da vida da cidade. É muito comum você ver as pessoas andando pelas ruas comendo.

E como aconteceu o Pret A Manger? Aconteceu numa das pausas de um dos nossos passeios. Na Oxford Street avistamos a fachada envidraçada que dava pra ver o interior de um simpático café, de ambiente convidativo e aconchegante e de nome francês – Pret A Manger - quer dizer “pronto para comer”. Com o frio que fazia, não pensamos duas vezes e entramos.

Notamos que não era um simples café. Vimos ali uma variedade de comidinhas como saladas, lanches na baguete ou no pão integral - com recheios pra lá de inusitados - pães como croissants diversos, muffins, sopas, frutas in natura, sucos naturais, águas aromatizadas, chás, e claro, cafés de todos os tipos. Os lanches e sucos vêm todos embaladinhos e ficam dispostos em gôndolas em que você assim que chega, já vê, pega e vai pro caixa pagar. Você pode comer por ali mesmo ou levar. No caixa já te perguntam se é take away ou eat in. Eles também atendem delivery. Você faz seu pedido pela internet.

Nossa primeira incursão foi básica: café expresso (no copão), um croissant e um roll de creme com passas – que depois eu soube que era o pain au raisin, uma delícia que passei a comer todos os dias.

É só pegar! Aqui tem os mais variados sanduíches, sopas,
saladas, sucos, águas aromatizadas
Veja só como funciona a percepção seletiva: após essa primeira experiência no Pret (já estávamos íntimos pra chamar de Pret), nós percebemos que em todos os lugares que passávamos havia um. Foi aí que notamos a grandeza dessa cadeia de comida rápida. Vimos até outras bem similares como: EAT, Simply Food, Mark & Spencer, Caffé Nero (mas nada comparado, quando quero dizer quanto à lotação das lojas) - e até as mundialmente conhecidas Subway e McDonald´s – que até tem opções diferentes de lanches e café da manhã, nada parecido com o que temos aqui no Brasil.

Lanchinho básico depois de visitar a  Catedral de Saint Paul e a Millenium Bridge

Pret nos chamou muito atenção por ser diferente em muitos aspectos, que nos fez querer saber mais. Nós descobrimos que foi em 1986 que os colegas de faculdade Sinclair e Julian criaram seus sanduíches sem conservantes, corantes ou qualquer aditivo químico, tão comum nos fast foods de hoje. Foi então criado o tipo de comida que eles queriam, mas que não era encontrada em qualquer outro lugar. A inexperiência para os negócios se transformou em um gigante, presente hoje no Reino Unido, Hong Kong, França e Estados Unidos, que somam quase 300 lojas.

Um das grandes sacadas do Pret, é que os sanduíches são feitos no dia. E tudo o que não foi vendido é entregue à instituições de caridade. O legal é que os variados sanduíches são criados a partir de sugestões dos clientes. E o resultado é o lançamento de até 20 tipos de sanduíches, todos os meses. De acordo com eles próprios, alguns são clássicos e outros um tanto "estranhos" e "malucos".

Mais uma paradinha no Pret. Nesse dia estávamos a caminho da Tower Bridge
Além disso, eles têm uma verdadeira paranoia pela qualidade dos alimentos. Todos os fornecedores são rigorosamente selecionados e precisam cumprir alguns requisitos pra fornecerem alimentos. Pra se ter uma ideia de até aonde vai essa paranoia, veja só, o que acabei encontrando no site deles: “nossa mostarda wasabi é marrom (não de cor verde fluorescente), o nosso presunto é de tonalidade clara (não rosa claro) e os nossos damascos secos são acastanhados (e não laranja)”. E por aí vai...

A filosofia do Pret A Manger vai muito além do que apenas oferecer alimentos. Por isso, vale a muito a pena conhecer e devorar as delícias quando vir à Londres ou passar pelos países onde tem um Pret.

Perdemos a conta de quantas vezes passamos por lá, seja para tomar um café com croissant e um pain au raisen, ou comer alguns dos clássicos, e porque não também, um dos estranhos e malucos sanduíches do Pret.

O metrô de Londres e o Oyster Travel Card


Como andaríamos por vários cantos de Londres, optamos pelo cartão eletrônico Oyster Travel Card de 7 dias (29,20 libras + 5,00 pelo cartão/cada, zonas 1 e 2, onde estão concentradas as principais atrações).

As 5,00 libras são reembolsáveis se devolver o cartão (nós não sabíamos e não fizemos isso.

Bem, certamente voltaremos à Londres e utilizaremos novamente! rs).


O metrô de Londres não é barato se comparado a alguns países e até mesmo na cidade de São Paulo (4.30 libras por viagem nas zonas centrais como as 1 e 2), mas convenhamos, a infraestrutura é excelente!


Optando pelo Oyster, pode-se viajar várias vezes dentro da zona correspondente a qualquer hora do dia, por 7 dias. Com isso dá pra economizar muitas, muitas libras.

Outra opção de transporte é o ônibus, os famosos double decks vermelhos. Há por toda a cidade. Nós optamos apenas pelo metrô.

As tarifas abaixo são de 2012. Em 2013 serão reajustadas. Tabela aqui.


E a companhia para as nossas viagens foi os famosos tabloides Metro e London Evening Standard. É distribuído no "tube" de manhã e no final da tarde.

Tabloides enregues no metrô de manhã e início da noite
Mas mesmo que você não consiga pegar um exemplar, seja na entrada ou na saída do "tube", dentro dos vagões sempre tem vários sob os dos assentos.

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...