quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Paraty/RJ

A 298 kilômetros da capital paulista, a cidade de Paraty, no Rio de Janeiro reúne o que há de melhor na gastronomia, cultura, passeios e muita diversão.


Por ser final de semana prolongado de feriado (7 de setembro), tivemos dificuldades em achar vagas em pousadas. Depois de muitos telefonemas, e-mails, encontramos a Pousada Eclipse



Com boa localização, longe do centro de Paraty, a pousada oferece um bom café da manhã, instalações aconchegantes e atendimento atencioso. 




O primeiro dia na cidade foi muito bom, com pouco sol e nada de chuva. Fizemos fotos incríveis!



A cidade impressiona pelo fato de haver muitas construções dos séculos XVIII e XIX preservados. O calçamento das ruas é de pedras irregulares (conhecido como pé-de-moleque).




Caminhar pelas ruas de Paraty é uma aventura. Além da atenção redobrada aos desníveis, poças d´água e até mesmo as inundações quando sobre a maré (um espetáculo à parte) é bom estar munido de um bom par de sapatos.







É muito comum encontrar pelas ruas artistas como cantores, artesãos e pintores...

Arte ao ar livre


Uma das atrações são os passeios de barco e de escuna. No pier localizado na baia de Paraty, é possível escolher dentre muitas opções e zarpar para diversas ilhas ao redor de Paraty.





Além dos passeios, a gastronomia de Paraty é muita rica. Não perdermos tempo e procuramos conhecer e experimentar o que podíamos.

Nossa primeira experiência gastronômica foi o almoço. Escolhemos um restaurante próximo à praça principal. Podemos dizer que não foi lá muito agradável, porque encontramos cabelo na comida, além também, do atendimento demorado e largado. No final das contas, nos concedeu um desconto de 10% na conta. Foi uma experiência nada agradável. Bem que podíamos ter desconfiado que o restaurante estava vazio em plena hora do almoço.

Dispensamos o café do restaurante (claro!) e rumamos em busca de uma cafeteria. Encontramos o Café Blend Paraty. A cafeteria fica em casarão reformado. A casa tem como decoração objetos antigos e bancos de madeira. Pedimos café e mousse de maracujá. Tudo ótimo!






Mousse de maracujá


Paraty é muita rica em sua gastronomia. Além dos peixes, os restaurante oferecem também comida variada. Lugar para comer é o que não falta, mas é recomendável dar uma checada na reputação, se o restaurante está vazio... É complicado julgar. Na dúvida, use seu feeling.

Não havíamos decidido onde jantar. Andando, pesquisando, acabamos ficando no La Pignatta, um restaurante italiano, instalado em uma antiga ruína do centro histórico da cidade.


Pedimos umas bruschettas como entrada. Simplesmente espetaculares.

O Edu pediu gnocchi e eu, uma singela salada.

O gnocchi do Edu

Minha singela salada
Confesso que "beliscar" alguns nhoques do Edu revelou uma experiência boa e ao mesmo tempo ruim. Boa porque estava demorando pra experimentarmos um gnocchi de restaurante que fosse realmente muito bom (que não fosse de farinha). E a ruim, é porque eu não estava lá muito disposta pra comer massa e fiquei na saladinha. 

Bem, o gnocchi desse restaurante é espetacular. Massa leve e com gosto de batata. Pretendíamos voltar para um repeteco.

A atmosfera do La Pignatta

Cardápio na porta. Adoramos isso!
No dia seguinte, rumamos para Trindade. Não fosse o tempo prá lá de ruim, seria perfeito. Praia bonita, com área grossa e fofa. Mesmo com o tempo nublado e garoa, o point principal, onde se concentram as pousadas, bares e comércio estava lotado, intransitável. Ficamos menos de 3 horas.

O mar não estava pra banho


Voltamos à Paraty com o objetivo de almoçarmos no O Kontik Restaurante, localizado na Ilha Duas Irmãs, a 10 minutos de barco do pier da cidade. O cardápio do Kontik é composto por peixes, frutos do mar e carnes.

O restaurante oferece o transporte gratuito de barco até à ilha - depois entendemos no valor final da conta. Valores à parte, o lugar é realmente de tirar o fôlego e vale muito a pena conhecer.



A chegada até a ilha impressiona. A poucos metros se avista instalações com jardins bem cuidados e uma infra estrutura para receber com muito conforto.


Soubemos mais tarde, que o lugar é procurado para festas, casamentos, etc. Na chegada, caminhando pelo deck, se vê em primeiro plano uma mini praia, com água claras. Avistamos uma família de divertindo...

Prainha

Um dos mirantes

O pier da ilha


O restaurante tem dois níveis e vista para o mar. O lugar onde ficamos - ao ar livre - dava se avistava a praia, escunas, lanchas e jet skis passando.

De entrada optamos pelo couvert que incluíam azeitonas, ovos de codorna (tira-se a casca na hora) e a capponatta (refogado de abobrinha, berinjela, cebola, pimentão, uva passa, nozes e ervas) deliciosa!

Ovos de codorna

Pães

Capponata

Azeitonas temperadas
E os pratos principais...

A Helena optou pelo Duo de filé de Peixe recheado com camarão acompanhado de arroz de amêndoas. 


O Edu ficou com o Medalhão de filé de peixe recheado com camarão acompanhado de cenouras e brócolis em demi-glace de laranja.


E de sobremesa banana flambada com sorvete de creme.




Depois do banquete fomos conhecer a ilha. Além do restaurante e da maravilha vista, parte da ilha é também alugada para grandes eventos.

A ilha abriga algumas aves, como esses pavões. Fomos felizes em fotografar com sua cauda aberta.



E também galinhas d´angola.





Estrutura para um evento sendo montada



Um dos ambientes do restaurante
Saímos de lá no meio da tarde, com o dia claro. Ainda dava para aproveitar mais um pouco.





De volta à Paraty
Já no centro, em terra firme, nos lembramos do delicioso café do Café Blend Paraty para um café com bolo.

Bolo de milho com côco
Encerramos nossa última noite em Paraty com um repeteco. Voltamos ao La Pignatta Ristorante (aquele gnocchi marcou). Nessa noite, estávamos decididos a repetir o gnocchi, e tal qual foi a nossa decepção quando soubemos que havia. É, e o garçom ainda frisou "acabou e nada sobrou!" Ficamos frustrados, mas pedimos outra massa - ravioli de mussarela - que sem desprezo algum, estava maravilhoso! 

Pedimos a mesma massa, mas com molhos diferentes.

Ravioli ao molho pesto

Ravioli ao sugo
Ao pagarmos a conta, a nossa curiosidade foi tamanha que perguntamos sobre o gnocchi. Nos explicaram que o nhoque é feito artesanalmente por uma cozinheira do próprio restaurante, e que naquela noite, muitas das porções vendidas foram exatamente a de gnocchi. 

Nos convidaram a retornar no dia seguinte. Uma pena, mas explicamos que iriamos embora pra São Paulo na manhã seguinte.


O dia amanheceu muito ensolarado. Tomamos café, fizemos o check-out e fomos direto pela Rio-Santos para passar em algumas praias do litoral norte paulista. 

E Paraty ficou pra trás...
Paramos em São Sebastião/SP, batemos algumas fotos e rumamos direto e reto pela Rio-Santos, parando na Riviera de São Lourenço pra almoçar e... São Paulo!

Fizemos só esse registro de São Sebastião. Uma longa viagem nos aguardava.

São Sebastião

2 comentários:

  1. Descobri vocês por acaso, claro. Mas me deliciei com seus textos. Moro em Paraty e ainda não conheço a Kontiki. Vergonha, não? Mas agora irei!
    E aproveitando (já que parecem apreciar uma boa gastronomia), se um dia estiverem de volta a Paraty, venham nos visitar. Temos nossos segredinhos e diferenciais. Risos!
    Att,
    Adriana Legond
    Voilà Bistrot - Paraty - RJ
    www.pousadacaminhodooouro.com.br

    ResponderExcluir
  2. Paraty é um dos nossos destinos favoritos.
    Esta é a segunda vez que visitamos a cidade. A primeira foi em 2005, no mês da FLIP. Não tínhamos entendido o porquê de tanta dificuldade de se achar uma pousada. Felizmente, encontramos um lugar para ficar.
    Adoramos sua pousada! Em nossa próxima visita à cidade, certamente iremos passar por aí.
    Abraços,
    Helena e Eduardo

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...